Lira: Translated Poems — English to Portuguese

This may not interest many of you, but I was asked to share some of my poems with someone who runs a lesbian love and eroticism zine in Brazil, so I’m posting a few of my translations here, even if they don’t choose my work. I had the pleasure to be featured in one of the caring and fantastic Nakada Wilson‘s self published books, Girl Poems (find Katie’s review here) and would love to have a similar experience again.

Obviously… Almost none of my readers understands Portuguese. Still, I share tons of stuff with you all and would like to keep doing so, so I will post this anyway.

And I am not sure if they will pick one of my poems there, even though it’s a small zine, but isn’t that a reason to be happy? A shout out to Vinícius S. Pessoa for sharing the news with me and for always being such a wonderful person.

The following poems are Beehives, Random Pony Tail Girl I Fell In Love With, Candy Apple and Nymphs.

 

lirapoemastraduzidos

Colmeias

 

A tua indiferença hoje envenena as águas

Que bebo da tua beleza.

As tuas melífluas palavras

São como mel num copo de chá e Cantarella.

Quero feri-la com minhas palavras, mas bem sei

Que ferrões e agulhas

Jamais ferirão tua fina pele

.

Então, juro para mim mesma

— Eu preferiria amar

Uma flor às portas da morte.

Musa, eu já não sei

Por quanto tempo mais hei de beber; por quanto tempo

Darei importância a este jardim?

.

Nada trará teu amor a mim, mas o que fará

Com que tu me percas?

.

Regue o meu amor todos os dias – mata-me

De pouco a pouco

.

Padrões de colmeias – eu voo ao redor dela

Como se ela fosse um lindo lírio.

Dela, somente dela, imploro:

“Regue meu amor todos os dias”

.

ML

Irrelevant detail – A while ago the ortography of the word Colméia changed to Colmeia. I was still in high school when that happened, so I stick to old habits in my daily life, but tried to write “correctly” this time and just type colmeias instead of my preferred colméias.

 

Ninfas

 

Três alegres nereidas roubaram

O Tridente de Poseidon. Agora

Flores flutuantes

Lentamente colidem com restos de lixo n’água

.

Homens transformam-se em bolhas;

Mulheres, vidro marinho.

Crianças montam cavalos marinhos

No útero oceânico.

Marinheiros morrem

Batendo contra paredes tsunâmicas

.

Nadando

Em águas festivas, meu coração tinge as ondas

Com um pensamento levemente cor-de-rosa:

— Eu sempre quis amar uma sereia

.

Água salgada

Queima meus olhos.

Três lindas nereidas

Dançam sensualmente ao meu redor

.

ML

 

Maçã do Amor

 

Amor foi a maçã que juntas devoramos

Noite passada.

Só não sei apenas

Se sua linda cor era veneno vermelho

Mas que diferença faria?

Eu morreria, de todas as mortes, a mais romântica

Com os meus lábios nos teus, minha

Lília

.

ML

 

Garota Aleatória com Rabo de Cavalo Pela Qual me Apaixonei

 

Rabo de cavalo, pálida. Lábios finos.

Uma estátua grega moderna com o aroma de brownies

E pequeninos pés.

Delgados dedos; roupas, pretas e brancas

E sorrisos para todos, menos eu.

Alta com ares dos anos sessenta;

Grandes olhos castanhos. Os cílios curvados…

Sentou bem ao meu lado numa sexta,

Sem nada saber de nosso romance apressado.

Sem nada saber das minhas palavras pulsantes não ditas

Sob as nuvens de um dia chuvoso.

.

Bem, eu a convidaria para sair. Provavelmente,

Eu já o fiz

Num universo paralelo, distante daqui…

Sim, eu a convidei para sair – hoje e eternamente

.

Tu e todas as moças aleatórias que amei

.

Levantar-me, ir-me embora… Estas foram as coisas mais duras,

Linda… Eu a abandonei

Com silêncio e um desejo

.

ML

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s